Lembro-me de outro -Quotes By António Lobo Antunes

-Quotes By António Lobo Antunes

Lembro-me de outro, um rapaz novo em estado terminal : se nos aproximávamos tirava um pente do bolso do pijama e compunha o cabelo. (…)

Se lhe dissesse isto não acreditava: desde quando um camponês é melhor que um doutor? Tínhamos a mesma idade, mais coisa menos coisa. A diferença é que você era um homem e eu um palerma de bata. Não tenho bata há muito.

: António Lobo Antunes, Quarto Livro de Crónicas

Uma coisa é o amor, outra é a relação. Não sei se, quando duas pessoas estão na cama, não estarão, de facto, quatro: as duas que estão mais as duas que um e outro imaginam.

: António Lobo Antunes

el silbido del jardinero, más lejano, destruía alhelíes y tulipanes en la tranquilidad sin remordimiento de los robles, yo preocupada por que el jardín no se convirtiese en una fosa común de flores difuntas

: António Lobo Antunes, Manual de inquisidores

mas quem dá por um eco na água se ela própria água feita de ecos também, aqueles que dizem sentir a água enganam-se, sentem a memória dela

: António Lobo Antunes, Que Cavalos São Aqueles que Fazem Sombra no Mar?

poner al Ejército firme, imponer el orden en este desastre, gobernar esta letrina, unos sopapos aquí y allá, los semanarios callados, el pueblo callado que es lo que le gusta, créame,

: António Lobo Antunes, Manual de inquisidores

Os barcos ancorados remexiam com moleza as ancas.

: António Lobo Antunes, An Explanation of the Birds

(continua a surpreender-me o número de recordações que se podem pendurar lado a lado no fio de uma lágrima)”

: António Lobo Antunes, Eu Hei-de Amar uma Pedra

This Post Has One Comment

Comments are closed.