Já não és de cá-Quote By António Lobo Antunes

Já não és de cá
destas pedras, deste mato, destas árvores que nos devoram numa pressa cruel conforme os arbustos e o granito nos devoram, somos búzios que nenhum eco habita, cascas de caracol tornadas pó se as tocamos, a humidade feita de líquenes do Mondego que não termina de nascer numa falha de penhascos, faleci da mesma doença que ele não em Lisboa, na vila, dando pelas solas a estremecerem o mundo e esperando na almofada que as velhas entrassem, o sino não a dobrar, tocando a incêndio e camponeses de feições inacabadas, como sucede aos pobres a quem a fome impediu de se completarem, a galgarem travessas carregando selhas, o dono do hotel dos ingleses a indicar o meu neto

Talvez uns meses ainda : António Lobo Antunes, Sôbolos Rios Que Vão